Experimento assegurará plantio de mudas em áreas degradadas no Pantanal

Inicio » Noticias » Reservas de agua disponibles desde las montañas hasta el mar » Ríos y lagos » Experimento assegurará plantio de mudas em áreas degradadas no Pantanal
Noticias

Um experimento piloto prevê o transplante de plantas jovens (mudas) como uma alternativa à falta de sementes na produção de mudas nativas para restauração de florestas ribeirinhas degradadas no rio Cuiabá, Pantanal.  

A ação acontece no Parque Sesc Baía das Pedras – Sesc Pantanal, e está sendo executada pela equipe formada por pesquisadoras do CPP/INAU e UFMT, junto com a equipe de apoio do Sesc, no âmbito de um projeto que conta com o apoio do GEF Terrestre. 

A pesquisadora do CPP e INAU, Dra. Cátia Nunes da Cunha explica que a atividade de coleta e transplante das mudas nativas primeiro passa pela aclimatização em viveiros, para que posteriormente seja usada na restauração de florestas inundáveis.  

“Cerca de 300 mudas foram transplantadas nessa etapa do trabalho de campo. Esse piloto comporá um protocolo para que as comunidades Capão do Angico, em Poconé (MT) e São Pedro de Joselândia, em Barão de Melgaço (MT) forneçam mudas para os projetos de restauração nessa região”, comenta. 

A pesquisadora acrescenta ainda que grande parte dessas mudas serão plantadas em áreas de restauração da floresta ciliar, afetadas pelos últimos incêndios na região, atividade prevista no Projeto ‘Aquarela’ – Recuperação de Florestas Ribeirinhas Pantaneiras: beneficiando água, solo, peixes e populações do entorno da RPPN Sesc Pantanal.  

Saiba mais sobre a RPPN Sesc Pantanal 

 A inserção do projeto ‘Recuperação de Florestas Ribeirinhas Pantaneiras: beneficiando água, solo, peixes e populações do entorno da RPPN Sesc Pantanal – Mupan RPPN Sesc’ é resultado de um esforço coletivo das instituições executoras do projeto e propõe um arranjo que, institucionalmente, contribuirá com a elaboração e implementação do Plano de Manejo do Sítio Ramsar Sesc Pantanal e interações com o entorno.   

Com o objetivo de implementar ferramentas de gestão e tecnologias sociais frente ao cenário das mudanças climáticas no Pantanal e a prevenção de incêndios na região, o projeto ‘Recuperação de Florestas Ribeirinhas Pantaneiras: beneficiando água, solo, peixes e populações do entorno da RPPN Sesc Pantanal – Mupan RPPN Sesc’ está em seu décimo mês de execução. O projeto tem caráter piloto e servirá de modelo para a implementação de novos trabalhos de Recuperação de Áreas Degradadas (RAD) no Pantanal.   

Dos 56 hectares atendidos dentro do trabalho, 46 estão situados nas dependências da RPPN Sesc Pantanal sendo que os outros 10 hectares estão localizados no entorno da reserva servirão de modelo para implementações de novos trabalhos de RAD, considerando a especificidade das áreas úmidas.   

A iniciativa desse projeto acontece por intermédio de um arranjo institucional entre Mulheres em Ação no Pantanal (Mupan), Wetlands International Brasil, Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Áreas Úmidas (INAU) e Sesc Pantanal; e conta com o financiamento do Fundo Global para o Meio  Ambiente (GEF), por meio do Projeto Estratégias de Conservação, Recuperação e Manejo para a Biodiversidade da Caatinga, Pampa e Pantanal (GEF Terrestre), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e tem o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como agência implementadora e o FUNBIO como agência executora. 

Saiba mais sobre o Projeto Aquarela Pantanal – Recuperação de Florestas Ribeirinhas Pantaneiras: beneficiando água, solo, peixes e populações do entorno da RPPN Sesc Pantanal 

Para evitar as catástrofes ocorridas em 2020, projeto de Recuperação amplia ações com foco na prevenção de incêndios no Pantanal 

Transplante de mudas nativas é experiência inédita no Pantanal