Em reunião no Senado Federal, oficial de políticas da Wetlands International Brasil apresenta propostas para prevenção do fogo

Inicio » Reservas de agua disponibles desde las montañas hasta el mar » Ríos y lagos » Em reunião no Senado Federal, oficial de políticas da Wetlands International Brasil apresenta propostas para prevenção do fogo
Noticias

Áurea Garcia foi convidada a participar da reunião como representante do Observatorio Pantanal

Durante a manhã desta sexta-feira (2), a oficial de políticas da Wetlands International Brasil e diretora geral da Mupan – Mulheres em Ação no Pantanal, Áurea Garcia, falou sobre as ações que devem ser tomadas para que esse cenário de destruição causado pelo fogo não se repita no Pantanal. Ela participou da reunião por videoconferência da Comissão Temporária do Pantanal como representante do Observatorio Pantanal.

Em sua fala, Áurea salientou diversos pontos do que pode ser feito e melhorado para que o fogo não tome grandes proporções novamente no bioma: bases permanentes de emergência e rápida resposta aos incêndios; ações preventivas e de combate; manejo integrado considerando as especificidades do Pantanal; segurança hídrica para as diferentes populações; recuperação e restauração; reconhecimento da importância das comunidades tradicionais e seus territórios; plataforma de multiatores; diálogo de saberes.

Essas propostas tem embasamento técnico-científico e foram feitas em conjunto por pesquisadores que estudam o Pantanal há muitos anos e, caso sejam seguidas, o fogo não causará novamente um grande desastre como o deste ano no bioma.

A comissão Temporária do Pantanal do Senado Federal tem como finalidade acompanhar, durante 90 dias, as ações de enfrentamento aos incêndios que estão acontecendo no Pantanal e seus desdobramentos, as providências para evitar novos focos de incêndios, a limpeza dos locais já atingidos, a proteção das populações diretamente atingidas, a economia, a fauna e a flora e a transparência das atividades coordenadas pela Operação Pantanal II.

Ainda participaram da reunião: Alberto Setzer, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe); Valdir Colatto, do Serviço Florestal Brasileiro; Mauren Lazzaretti, da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema); coronel Francisco Moacir de Oliveira Castro, do Ministério da Defesa; e os senadores Wellington Fagundes (MT) e Nelson Trad (MS).

Em setembro o bioma teve 8.106 focos de incêndio, de acordo com dados do Inpe, sendo o pior mês já registrado em números de focos desde 1998, quando o instituto começou o monitoramento.

Três meses antes de terminar, 2020 também já é o ano com o maior número de focos de incêndio no Pantanal, foram 18.259 entre 1º de janeiro a 30 de setembro. Antes disso, o maior número havia sido registrado ao longo de todo o ano de 2005: 12.536. A alta é de cerca de 46%.

Para assistir a reunião completa acesse o link: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoaudiencia?id=19287