Em evento trinacional, Wetlands International integrou webinar “Elementos para um Pantanal Sustentável: protegendo a maior área úmida tropical do planeta”, da Iniciativa 20×20

Inicio » Noticias » Reservas de agua disponibles desde las montañas hasta el mar » Ríos y lagos » Em evento trinacional, Wetlands International integrou webinar “Elementos para um Pantanal Sustentável: protegendo a maior área úmida tropical do planeta”, da Iniciativa 20×20
Noticias

Com transmissão pela Plataforma Zoom, o webinar da Iniciativa 20×20 contou com tradução simultânea em um encontro sobre a proteção das áreas úmidas.

Na foto, da direita para esquerda: Jaime Verruck, Secretário de Estado e Titular da Semagro, Marina Dabachi, Coordenadora de Ciência e Tecnologia da Semagro e Secretária Executiva da Biota MS, e Gaston Fulquet (na tela), Coordenador do Programa Corredor Azul da Wetlands International na América Latina e Caribe. Foto: Assessoria de Imprensa (Semagro).

 A Wetlands International, do escritório da América Latina e Caribe (LAC), participou na última terça-feira (05/10), do webinar ‘Elementos para um Pantanal Sustentável: Protegendo a maior área úmida tropical do planeta’, compondo a Força Tarefa da Iniciativa 20×20 na proteção e restauração das Áreas Úmidas.

Também a convite da World Resources Institute (WRI Global), organização que subsidia a Iniciativa 20×20, o secretário de estado de Mato Grosso do Sul e Titular da Semagro, Jaime Verruck, apresentou a respeito das ações de “Conservação, restauração e gestão da sustentabilidade do Pantanal” onde foi apresentado aos participantes o Pantanal e suas características, composição de uso e conservação do solo ao longo dos anos e principais atividades econômicas.

“Não se pode trabalhar o Pantanal de forma isolada. Você precisa conhecer toda a hidrografia e as nascentes que abastecem a área úmida. O Pantanal não é alagado o ano todo, muito pelo contrário. Então são necessárias ações nas nascentes. Além de ser necessário conhecer os países vizinhos (Paraguai e Bolívia), suas normas e os estados também que fazem parte, temos que trabalhar todos juntos porque o bioma é um só”, afirmou o secretário durante a apresentação.

O evento contou com a mediação de Walter Vergara, Coordenador da Iniciativa 20×20 e Membro Sênior da World Resources Institute (WRI) com a fala inicial de Gastón Fulquet (Coordenador do Programa Corredor Azul,  da Wetlands International), seguido por um Painel de Discussão com Kristell Hergoaulch (Cientista Sênior do Centro de Pesquisa Florestal Internacional (CIFOR), Lou Verchot, Cientista e Líder do Grupo de Restauração de Terras (CIAT) e Rafaela Nicola (Diretora Executiva da Wetlands International Brasil).

Rafaela Nicola, Diretora Executiva da Wetlands International Brasil.

Em sua apresentação, Rafaela Nicola falou dos esforços para manter a saúde e as funções dos ecossistemas de áreas úmidas no âmbito do Programa Corredor Azul, da Wetlands International LAC. “O desafio do Pantanal, quando falamos de sustentabilidade, passa por um trabalho de composição de esforços. Quando olhamos para a dimensão do Pantanal e a quantidade de usos e ocupações da região, as soluções passam por um conjunto de tecnologias de inovação e um corpo técnico-científico pela capacidade de replicar esses esforços e olhar para o desenvolvimento econômico pensando nas áreas úmidas como uma oportunidade de incluir as comunidades tradicionais, bem como as melhores práticas pecuárias e o desenvolvimento tecnológico”.

Dois trabalhos foram apresentados durante o Webinar no âmbito do Programa Corredor Azul. O primeiro mencionado está relacionado ao Território Kadiwéu, dentro do eixo Modos de Vida (Plano de Vida do Território Indígena Kadiwéu), em Mato Grosso do Sul, que busca esforços de restauração e segurança hídrica em um trabalho participativo com a gestão territorial local e suas lideranças, que conta também com o desenvolvimento de um viveiro de mudas para aportar a regeneração do território, ampliando a participação da governança indígena Kadiwéu.

Território Indígena Kadiwéu

O outro trabalho mencionado está localizado na região da RPPN Sesc Pantanal (Poconé-MT), com a questão da restauração das áreas degradadas pelas queimadas ao longo do Rio Cuiabá e o trabalho desenvolvido em duas comunidades que vivem ao entorno da RPPN na construção de viveiros de mudas para o plantio nas áreas pilotos de restauração. O projeto também conhecido como ‘Aquarela Pantanal’ é realizado em parceria com o Polo Socioambiental Sesc Pantanal, o Centro de Pesquisas do Pantanal (CPP) Instituto Nacional de Áreas Úmidas (Inau), da Mulheres em Ação no Pantanal – Mupan e conta com financiamento da DOB Ecology e também do GEF Terrestre (Funbio).

Equipe da Wetlands International Brasil, Mulheres em Ação no Pantanal – Mupan, Centro de Pesquisas do Pantanal (CPP), Instituto Nacional de Áreas Úmidas (Inau) e Polo Socioambiental Sesc Pantanal com as famílias envolvidas no Projeto Aquarela Pantanal, no viveiro de mudas da comunidade Capão do Angico (Poconé-MT). Foto: Comunicação Wetlands International Brasil.

Força-tarefa da Wetlands International na Iniciativa 20×20

A Wetlands International apoia os países integrantes da Iniciativa 20×20 em suas metas de restauração e às organizações na mudança da dinâmica dos processos de degradação na América Latina e no Caribe. A Wetlands International está realizando esforços de restauração por meio de seus projetos nas áreas úmidas em zonas áridas, em pântanos e planícies andinas altas.

Essa força tarefa busca destacar a relevância dos ecossistemas do Pantanal dentro da agenda de restauração, prestando assessoria aos atores públicos e privados sobre ações de restauração e melhores práticas a partir da troca de conhecimento presente na região. A coordenação da Força Tarefa das Áreas Úmidas está a cargo de Gastón Fulquet, Coordenador do Programa Corredor Azul, da Wetlands International.

Como parceira técnica dentro da Iniciativa 20×20, a Wetlands International contribui por meio da assistência na implementação de projetos e identificação de locais com potencial de restauração e esquemas de monitoramento, bem como no compartilhamento de conhecimentos e experiências sobre práticas de conservação e restauração nas áreas úmidas e no apoio aos governos no desenvolvimento de estratégias, projetos e planos de ação.

As Forças-Tarefa da Iniciativa 20×20 formam grupos com os representantes de todos os parceiros técnicos da iniciativa. Os membros de cada força-tarefa se reúnem para discutir um tema-chave da restauração. Seu objetivo é formar comunidades práticas que conduzam, coletam e disseminam conhecimentos padronizados sobre restauração na América Latina e no Caribe. Os papéis de uma força-tarefa incluem:

  • Implementação de um programa de atividades, incluindo webinars, workshops, eventos e publicações, para engajar e informar a comunidade da Iniciativa 20×20;
  • Revisão de pesquisas realizadas por membros da força-tarefa;
  • Espalhe as últimas ideias dentro da área temática para outros membros da força-tarefa e para a comunidade de restauração mais ampla.

A Iniciativa 20×20 convocou forças-tarefa sobre os seguintes temas:

  • Áreas Úmidas;
  • Melhores Práticas;
  • Biodiversidade;
  • Carbono;
  • Incentivos;
  • Ecossistema de Investimentos;
  • Monitoramento e Transparência;
  • Política e Legislação
  • Florestas Secundárias e Degradadas

O que é a Iniciativa 20×20?

A Iniciativa 20×20 é um esforço que busca mudar a dinâmica da degradação da terra na América Latina e no Caribe, começando a proteger e restaurar 50 milhões de hectares de florestas, fazendas, pastagens e outras paisagens até 2030. A iniciativa — lançada formalmente na COP 20 em Lima em 2014 — apoia o Desafio de Bonn e a Declaração de Nova York sobre Florestas, compromissos globais de trazer 350 milhões de hectares das terras desmatadas e degradadas do mundo para restauração até 2030.

Até agora, 18 países da América Latina e Caribe e três programas regionais se comprometeram a melhorar mais de 52 milhões de hectares de terra (ou cerca de 124 milhões de acres, uma área aproximadamente do tamanho do Paraguai e Nicarágua combinada) através da Iniciativa 20×20.

A iniciativa conta com o apoio de mais de 85 organizações técnicas e instituições e uma coalizão de investidores de impacto e fundos que implantam US$ 2,5 bilhões em investimentos privados.

Saiba mais sobre o WRI Global e Brasil

O WRI é uma organização de pesquisa global que trabalha com governos, organizações não-governamentais, empresas, instituições multilaterais e grupos da sociedade civil para desenvolver soluções práticas que melhoram a vida das pessoas e protegem a natureza. Organizamos nosso trabalho em torno de sete desafios globais: Alimentos, Florestas, Água, Energia, Clima, Oceano e Cidades. Analisamos essas questões através das lentes de nossos quatro Centros de Excelência: Negócios, Economia, Finanças e Patrimônio.

O WRI Brasil é um instituto de pesquisa que transforma grandes ideias em ações para promover a proteção do meio ambiente, oportunidades econômicas e bem-estar humano.

Para saber mais, acesse: World Resources Institute | Making Big Ideas Happen (wri.org)

Para saber mais sobre o Programa Corredor Azul, acesse: Programa Corredor Azul Pantanal – Wetlands International Latinoamérica y el Caribe

E sobre a Iniciativa 20×20, o link está disponível aqui